quarta-feira, 30 de junho de 2010

Coisas da Guiné - 30

Sátira com as fotos da Guiné...
...À minha maneira


Em 25 deste mês de Junho, tinha dito que gostava de apresentar algumas fotografias que ainda guardo e obtidas na Guiné, colocando em cada uma delas alguma história satírica.
Essa história, pode não ter graça nenhuma, mas é pelo menos aquela que cada uma das fotos me sugere, inclusivé com o local, as pessoas, os actos que as mesmas representam, etc.
Algumas já estão por aqui.
Para não tornar demasiadamente longa a exposição dessas fotos, ficam aqui algumas delas. Outro trabalho idêntico ainda se poderá fazer com o uso de muitas outras. Eis as primeiras:
Porque há mais!
Como se montava um bom par de cornos. Não era para todos. 

A melhor equipa de basquete em Chaves .

Aqui só há uma hipótese: dois macacos!
(esta raça, e mais algumas, de macacos, gostava muito de «limpar» os pelos)

Utilizando linguagem local: Manga de patacão (muito dinheiro) espalhado pelo corpo
(Foto um dia destes aqui colocada a propósito de uma história de dinheiro que transportava)

É dali que eles vêm... tudo a postos...
(Foto tirada do telhado do aquartelamento de Ingoré. A direcção que aponto - norte - era para o Senegal, ali perto)

Um turista na Avenida de Bissau que ia do palácio do governador, na Praça do Império, até ao cais.
(Há quem saiba. Pode ser que daqui a pouco me lembre. Mas já não sei como se chamava)

Isto é que era um salão de beleza. Equipamento, material, mobiliário. Uma maravilha!

Que guerra... até dava para ir à praia de Varela, próximo do Senegal

Qual é o problema? A malta era limpa e asseada!
(Foto que também já aqui passou a propósito de uma história)

É assim... eu estava aflito com o peso. Agora admito o quanto deve pesar algures
(Foto que já passou por aqui a propósito de uma história)
Não ameaces, se não levas um murro...
(No quartel-general, em Bissau, com o meu amigo Fernando Gomes de Oliveira, que ali era radiomontador)

Isto era um tipo (?) em cima de um monte de sucata, em alto mar, a caminho da Guiné
(Em direcção à Guiné, como todo o ar de maçarico, no navio Sofala)

Um pequeno «burguês militar» de férias, junto de num morro de baga-baga, frente ao Hospital Militar

Estes tipos são do concelho de Águeda, nas traseiras do Hospital Militar.
(O da esquerda e do meio são da freguesia de Valongo. O da direita da freguesia de Espinhel e ainda hoje é músico. Lá era o ajudante da sala de operações.)

Quantos são?... quantos são?... que venham todos
(Já não sei onde isto aconteceu, mas o da esquerda no para brisas, parece que sou eu)

Este tipo não sou eu, porque era muito elegante, junto da bolanha de Ingoré

Um Opel Record e nele um pseudo condutor do governador
(Já não sei de quem era o automóvel, com matrícula do Exército - MG-01-31 - mas este estava no Hospital Militar)


Se à frente desta casa está um tipo, este só pode ser o seu habitante
(Era o palácio do governador da Guiné, Praça do Império)
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...