sábado, 19 de junho de 2010

O apeadeiro de Aguieira

Como tinha referido antes, é altura de conhecer alguns factos relacionados com o apeadeiro de Aguieira. A linha do caminho de ferro passa a poente deste lugar, mesmo nos limites da Quinta da Aguieira. Na estrada Aguieira-Mourisca a linha atravessa-a nos citados limites da Quinta da Aguieira.

A passagem-de-nível, na estrada que liga à Mourisca, local ode existiu o primeiro apeadeiro da Aguieira, no qual houve vários e graves acidentes, nomeadamente a morte do Dr. Abel Lacerda e outras pessoas, uma delas colhida mortalmente por um comboio a que minutos antes dera sinal de passagem na Alagoa. A parte alcatroada não existia., assim como a estrada que se vê ao longo da linha, que vai ligar àquela que vemos no apeadeiro, na foto abaixo.
A primeira foto que apresentamos é apenas para poder dar uma ideia de que nada do que se vê existia há uns bons anos atrás. A linha, desde a Carvalhosa, sobe substancialmente até ao actual apeadeiro de que já vamos falar.
Foi próximo do local que a fotografia mostra, que existiu o primeiro apeadeiro e, salvo erro, do lado de Águeda, o lado mais próximo da fotografia. Ao que parece pelas cinrcunstâncias antes referidas, o apeadeiro tecnicamente não servia para que o comboio, no sentido de Sernada-Aveiro, se deslocasse com normalidade.
Assim, como ficava frequentemente ali retido, foi necessário mudar o local do apeadeiro. Implantaram-no então onde se encontra actualmente e, pasme-se, a uma pouca distância da estação de Mourisca e, na altura, muito pouco utilizado, porque ficava longe dos locais de concentração da população. Ou seja, o apeadeiro passou a ser oficial, mesmo nos limites da freguesia e à entrada da Mourisca. Com algumas razões, mas completamente inadequadas face a uma gestão e aproximação junto das populações. Felizmente que hoje aquela zona da Mourisca, Aguieira, com o Vale das Figueiras ao lado, parece que responde às necessidades que o tempo se encarregou de modificar.

Este á o apeadeiro da Aguieira, quase junto da Mourisca, ao lado do Vale das Figueiras. Também não era este o lugar primitivo, que ficava um pouco antes, nas costas da fotografia. Sofreu obras de ampliação e adaptação e a oferecer outras condições aos eventuais passageiros. É visível na foto a placa que identifica o início do lugar. Logo, o apeadeiro tinha ficar depois da placa, senão não, não era da Aguieira. Isto digo eu... O caminho alcatroado do lado direito, não existia e é o mesmo que ao longo da via vai ligar ao que se vê, também do lado direito, na foto da pssagem-de-nível.

Quando utilizava este meio de transporte para trabalhar, muitas vezes, a uma curta distância da passagem-de-nível, principalmente no inverno, o comboio parava, porque não podia rebocar tudo o que o compunha. Era necessário levar metade à Mourisca, depois a locomotiva regressava ao local e levava a outra metade, até àquela estação, que ficava perto. Resta ainda historiar, o que já em tempos fizémos, que foi nesta passagem-de-nível que num acidente com uma automora, faleceu o Dr. Abel de Lacerda, pessoa sobejamente conhecida, principalmente no Caramulo, no dia 7-7-1957, além de outros acidentes graves, nomeadmaente com pessoas do lugar e da freguesia, como fizemos constar aqui. Na altura a passagem-de-nível não tinha guarda.
Hoje tive oportunidade de obter uns cliques fotográficos dos dois locais, Eles aqui ficam, não só para recordação bem como para avivar a memória dos mais novos para pequenos factos que, certamente, lhes eram desconhecidos.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...