terça-feira, 22 de junho de 2010

Nacos de história - Brunhido

O exterior da capela de Stº Estêvão, após a colocação de granito no pavimento e resguardos

Há já bastante tempo que tive conhecimento dos restauros realizados na capela de Brunhido. Nunca tinha ido ver o que foi feito. Fui lá hoje. Acho que houve um certo cuidado em manter as linhas arquitetónicas condizentes com a época da capela, sob o nosso ponto de vista que de técnico nada tem.
Por isso, socorrendo-me do Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Aveiro - Zona Sul, editado em 1959 pela Academia Nacional de Belas Artes, ali encontramos algumas notas históricas desta capela, que, segundo o mesmo, a sua construção remonta, com muitas probabilidades, a fins do século XVII, tendo sofrido várias reformas ao longo dos tempos.
É titular desta capela Santo Estêvão. Para além da uma rosácea que está colocada na frontaria, sendo um exemplar único na região, «numa das paredes da sacristia, a dar luz à mesma cravaram o preenchimento dum óculo dos séculos XIII-XIV.». E termina assim uma parte desta citação daquela obra: «A seguir à nossa visita, ficando-se ali a conhecer o que ela representava, nas obras de reparação a que procederam, colocaram-na acertadamente no óculo da frontaria, com o que se valorizou.» Ou seja, a rosácea teria sido colocada inicialmente na sacristia, pelo que antes se descreve.Resta confirmar que tal rosácea virá de uma época dos séculos XIII-XIV que antes se referiu.
E a ilustrar este apontamento, a foto correspondente da capela após as últimas obras de manutenção e restauro, no que ao exterior diz respeito.

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...