sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

A história local

Estação arqueológica do Cabeço do Vouga
- Sítio da Mina -


Vamos respigando da brochura editada pela Câmara Municipal/Gabinete de História e Arqueologia, em Janeiro de 2008, com texto e imagem de Fernando Pereira da Silva (recentemente falecido), Design de Pedro Alves/Divisão de Estratégia e Planeamento, na continuidade dos post's anteriores, o constante das páginas 31 e 32, com que termina o capítulo que foi intitulado de:
........
Aculturações e afirmações:
do "ferro mediterrânico" ao "ferro atlântico"
Numa primeira fase, encontram-se os edifícios, ou melhor, alicerces, de pequena planta circular, com muros sumariamente aparelhados, em aresta seca contendo, no perímetro interior, buracos de poste que atestam uma cobertura à base de ramagens, ou ainda pedras de superfície côncava para apoio do poste central. São verdadeiras "cabanas pétreas" que seguem genericamente as tradições das "choupanas" de palha-barro.
Numa segunda fase, assiste-se a uma alteração das plantas dos edifícios, o que não significa que não haja coexistência com as construções mais arcaicas.
Os aparelhos construtivos continuam a pautar-se por muros de aresta seca e pequeno aparelho, embora surjam as primeiras "argamassas" de terra e pedra miúda.
As construções começam a apresentar áreas maiores, planta oblonga e/ou rectangular, de cantos arredondados.
Em alguns casos, os muros foram obtidos e partir do talhe do afloramento arenítico.
Internamente, tais construções ainda possuem os característicos buracos de poste de sustentação ou também de bases, talhadas no arenito de base.
Numa terceira fase, nos alvores do imperialismo romano e, de certo modo, por ele influenciado, dão-se alterações significativas que, se não se vislumbram claramente ao nível das plantas, observam-se no redimensionamento dos interiores e na aplicação de materiais afins ao mundo romano como tegulae e imbrices, nas coberturas e lateres nos pavimentos.
É sobre este substrato da I. do Ferro que se irá estabelecer o mundo romano, a partir do séc. I a.C.

A seguir: - Da "conquista" ao domínio romano
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...