segunda-feira, 22 de março de 2010

A Junta de Freguesia na história - 27

Pormenores avulsos


Como estes resumos focam o caminho de ferro, esta gravura a ilustrar


Das actas da Junta, retiramos alguns factos, que retratam e fazem a história de algum expediente e das pessoas envolvidas em determinadas funções, além de outras actividades que entretanto se iam verificando. Eis algumas;
.......
Sessão de 5/11/1911:
- Pedidas árvores à Câmara para serem plantadas no adro.

Sessão de 10/3/1912:
- Foi lido o alvará do Governo Civil de Aveiro que nomeia vogais substitutos os cidadãos Cirilo Simões dos Santos, Álvaro de Bastos e Bento Gomes.
- Proceder à vedação da entrada do adro da igreja na parte relativa à alvenaria, ficando o portão de ferro para mais tarde.
............
Sessão de 24/3/1912:
- Um ofício da Câmara pedindo nota de todos os negociantes de madeira, lenha ou barro, desta freguesia, para se dar cumprimento ao art.º 1.º da postura de 30/3/1911.
- Um ofício para nomeação de zeladores, sendo Manuel Marques de Assunção, de Arrancada e António Simões Amarelo, de Aguieira.
- Um outro ofício consultava a Comissão Administrativa sobre a conveniência ou inconveniência da edificação do quartel militar em Águeda. Votou-se pela conveniência.

Sessão de 14/4/1912:
- O Presidente da Junta era também, por mera coincidência, o oficial do Registo Civil na freguesia. Assim, foram alteradas as disposições sobre pagamentos de taxas de entradas de cadáveres no cemitério. Ou seja, o prof. Vidal preenchia os documentos de óbito para o Registo Civil e, ao mesmo tempo, para facilitar as coisas, recebia as respectivas taxas devidas à Junta.

Sessão de 9/6/1912:
- Apresentado ao governo o pedido para que os comboios do Vale do Vouga tenham a paragem de 1 minuto na passagem de nível a leste da Carvalhosa. Tinha sido extinto o apeadeiro de Aguieira. De notar que o apeadeiro de Aguieira chegou a estar implantado próximo da passagem de nível actual, naquele lugar. Segundo reza a história, os comboios, principalmente no inverno, não tinham condições técnicas de arrancar para retomar a marcha. Daí que se tenha mudado para o local onde está actualmente, na travessia para o Vale das Figueiras. O que se confirma, com tal pedido, que não havia paragem de comboios no local mais central da freguesia.

Sessão de 14/7/1912:
- Oficiar à C.M. Águeda, para esta pedir à Direcção de Obras Públicas de Aveiro, que mande fazer um estudo do ramal da estrada de acesso ao Caminho de Ferro, do Espírito Santo à Carvalhosa.

Sessão de 27/10/1912:
- Um ofício do Administrador do Concelho que acompanhava a cópia de outro do Ministro do Fomento, com o despacho que indeferiu o pedido feito por esta Junta para o estabelecimento de um apeadeiro na Carvalhosa. Foi lançada uma campanha com outras Juntas de Freguesia limítrofes, nomeadamente do Préstimo, Macieira de Alcoba e Talhadas.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...