quarta-feira, 17 de março de 2010

A história local

As Meninas Mascarenhas
O livro - VI


O rio Vouga na actualidade, próximo de Carvoeiro



Deixamos a narrativa do Dr. José Joaquim da Silva Pinho no momento em que ele regressava do rio Vouga a casa, e arrumava os papeis no seu escritório, preparava a mala e, como dizia, «ia seguir o seu destino».
O seu destino seria, ao outro dia, seguir para Paradela, até casa do cirurgião Agostinho Graça. Mas, antes da sua chegada, houve cenas aflitivas em sua casa, dado o seu envolvimento neste caso dos Pacheco-Teles. Dizia que seu pai era um fanático e dedicado amigo da família de Aguieira e, com este sentimento, queria que ele, jovem ainda, participasse e acompanhasse esta família «no lance em que estava empenhada», ainda que uma desgraça viesse.
A mãe do Dr. Pinho tinha conhecimento de alguns incidentes que já tinham ocorrido e pretendia que se deixasse de mais aventuras e sacrifícios. Os senhores de Aguieira que se arranjassem como entendessem e que deixassem em paz a pacata e boa gente de Jafafe.
Suplicou, pediu, ordenava que não partisse nesta aventura. Mas o Dr. Pinho lá foi a cavalo, pelas três horas da tarde do dia 16 de Janeiro [cremos que de 1847], tendo chegado a Paradela, a casa daquele cirurgião, já a noite caía, depois de ter feito uma longa travessia de serras.
Sua mãe ficou a rezar pela sua sorte.
Até que chegou próximo da povoação e ouviu, a distância, uma voz:
- Silva!
- Escura!... respondeu.
Era alguém da casa do cirurgião que vinha ao seu encontro, procurando-o, pois havia muito que o esperavam em Paradela e ele demorara-se bastante. E aqui novamente a senha e contra-senha que estava combinada.
Chegado a casa do cirurgião Agostinho Graça, esperavam-no Joaquim Álvaro e toda a equipa. Ali realizaram um conselho, com a presença de Joaquim Álvaro, D. Ana Teles e seus sobrinhos João de Figueiredo, Guilherme Teles e D. Matilde Máxima Teles. Estes viviam na quinta de Soutelo, da freguesia de Macinhata, e que sabendo do que se passava foram até Paradela.
Ficou estabelecido que D. Ana Teles, mal podia seguir com todos, dado que se sentia doente e mortificada pelos trabalhos, canseiras e medos sofridos nos dias anteriores, regressaria a Aguieira, mas antes iria permanecer no lugar de Soutelo e daqui, descendo por Moutedo, iria até Aguieira. Aliás, este estratagema tinha também em vista desviar as atenções dos perseguidores, que, diz-se, os despistaria, ao verem que a senhora que acompanhava e era responsável pelas meninas estava na casa do Cimo da Rua, pois tinham espias por todo o lado e levariam esta notícia aos Bandeira da Gama.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...