segunda-feira, 30 de março de 2009

POR TERRAS DO VOUGA - I

MACINHATA DO VOUGA - IGREJA PAROQUIAL



Penso que agora é chegado o momento de haver um espaço para mais algumas terras do Vouga, pois temos andado um tanto arredios deste espaço idílico proporcionado pelo Rio Vouga, pelo que hoje vamos dedicar esta página à freguesia de Macinhata do Vouga, mais concretamente à Igreja Matriz, cujo orago é S. Cristóvão. Fomos, como é costume, dar uma espreitadela ao Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Aveiro - Zona Sul - Lisboa - 1959 e adaptamos o que a seguir se descreve.
Diz o histórico livro que o actual edifício da Igreja Paroquial foi reconstruído no meado do século XIX e que foi obra de artífices locais, porque ficando amplo, não tem estilo definido. A torre, que fica à direita da fachada, foi alvo de uma sobreelevação de um andar de sineiras, no princípio do século XX. E as obras de melhoramento foram continuando.
O retábulo principal, coadjuvado por dois laterais seguiram um tipo do final setecentista. O principal mostra uma decoração em concheado. Os laterais não. Estes, como já aqui foi referido em páginas anteriores, vieram do convento de Serém, mas foram modificados e repintados a branco e ouro.

Foram rasgadas duas capelas no corpo, à altura dos ombros, e na da esquerda deram um retábulo de duas colunas e camarim, com a respectiva mesa, de motivos concheados.
Conserva-se no nicho da frontaria pequena escultura de calcário, do titular, S. Cristóvão, que vista de baixo, parece gótica, do princípio do século XVI.Entre as esculturas de madeira, de tipos e facturas comuns, mencionam-se: S. Cristóvão, repintado, e S. Gonçalo de Amarante, da segunda metade do século XVIII; Senhora da Conceição, de mãos postas e cabelo caído a envolver o busto, sobre o globo, dos fins do século XVII, com a antiga douragem mas renovada a pintura.Peça de merecimento é a custódia de prata dourada, da primeira metade do século XVII. Pertence ao tipo de templete, havendo duas colunas jónicas por lado, cúpula, hostiário ligeiramente ovalado e ornado só de quatro motivos curvilíneos e salientes, nó cilíndrico e com ligeiras atletas, pé maciço e sóbria decoração geral.
Levanta-se no adro um cruzeiro de pedestal oitavado, bem como são os três degraus. Se aquele tem a data de 1679, a parte superior é moderna.
No alto da povoação existe a capela de Nossa Senhora da Piedade, inteiramente renovada. No altar-mor e nos nichos laterais ao arco reempregaram colunas e pilastras de calcário, elementos desagregados de retábulo seiscentista. Parece que S. Tiago foi o titular antigo.
(Proximamente um resumo histórico)
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...