terça-feira, 21 de outubro de 2008

A INJUSTIÇA DA JUSTIÇA - II

Como prometi, aqui estou para dar conta das duas histórias que a página anterior mencionava. A história do "Jornal 24horas", reza assim:


«Como o Padre Cruz»

«A situação protagonizada pela irmã ...... é em tudo idêntica à que se conta na biografia oficial do Padre Cruz, que é dos mais venerados sacerdotes portugueses e considerado um santo pelo povo.

Conta-se na biografia que certo dia o Padre Cruz pretendia ir a Lisboa recolher dádivas para crianças desprotegidas, mas como não tinha dinheiro para o comboio, o revisor não autorizava que aquele padre entrasse na carruagem.

Entretanto, por razões nunca esclarecidas, o comboio avariou e não andava, até que o revisor acabou por deixar entrar o Padre Cruz e entretanto o comboio começou a andar.

Esta é uma das lendas atribuídas ao Padre Cruz e que agora é recordada a propósito da situação em que se viu envolvida a irmã ....... »


*******


A outra história que me contaram, penso que tinha como interveniente o Padre Américo, que foi conhecido em todo o país e não só. É esta:

Um dia o Padre Américo saiu do comboio e encontrou um individuo andrajoso, com aspecto de muito necessitado e vestindo umas calças rotas, sujas, enfim, num estado deplorável.

O Padre Américo terá olhado para a pessoa. Esta terá olhado para o Padre Américo.

Mas alguém, atento, viu que os dois entraram numa casa de banho pública.

Daí a momentos saíram de lá os dois personagens, o mendigo com umas calças de aspecto aceitável e o Padre Américo com umas calças rotas, esfarrapadas (passe o pleonasmo) sujas e imundas (mais um pleonasmo)!!!


Acho que estas duas histórias devem acabar sem comentários.

Quem souber ler, que leia. Obrigado!

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...