quinta-feira, 23 de abril de 2009

AS IMAGENS E HISTÓRIAS DA NOSSA TERRA



As fotos que compõem este slide, na sua maior parte, encerram uma história. Vou, por isso, dispender algumas letras a algumas dessas fotos. É que, justificando, alguns locais da minha infância estão ali retratados e que agora se misturam com um ou outro facto pitoresco - para a actualidade. Como já vai ver...

Se o caro visitante tiver a paciência de olhar para essas fotos (vai ter que as parar com o seu rato), retroceda p'ra aí uns cinquenta anos e imagine como era esse local e essas casas. Um dia destes dei uma volta pelo lugar antigo e histórico da Veiga e dessa incursão resultaram essas fotos e os seguintes comentários saídos ao correr do teclado. Ou seja, sem confirmações ou obtenção de outros pormenores que, certamente, completaria de forma mais perfeita todo o conteúdo.

A BOMBA: - Há duas fotos com o mesmo equipamento. A primeira é apenas para demonstrar como se obtinha água por um processo que ainda todos se lembram, creio eu. A segunda, veja abaixo um resumo da sua história.

O FONTENÁRIO PÚBLICO: - Há por aí, freguesia fora, ainda muitos destes tipos de fontenários. Era assim o abastecimento público, pois, naqueles idos anos de 50 ou 60, quando se pretendia fazer uma casa, a primeira obra a realizar era a abertura de um poço. Mas estes fontenários, não correndo, creio, grandes riscos de erro, foram uma campanha do Engº José de Bastos Xavier, de Arrancada, que quando foi nomeado Presidente da Câmara Municipal de Águeda, era uma grande preocupação que manifestava pelo facto da população não ter água para se abastecer. E foi durante o seu mandato que o concelho e a nossa freguesia foram amplamente contemplados com este equipamento de necessidade básica. E ficamos por aqui...

IGREJA DA VEIGA: - Antigamente eram conhecidas por capelas. Agora o que for um templo de certas características, é designado por igreja (a este assunto voltaremos). Mas às vezes misturo estas designações como por aqui se pode ver, pelos hábitos criados.

Este templo, à entrada do lado esquerdo, tem uma data em que diz: «Foi feita em 1702». Este terá sido o ano da grande construção do templo, dedicado a Nossa Senhora das Pressas e Senhor dos Remédios, ambas duas belíssimas imagens, principalmente aquela, como já uma vez aqui citei.

A graciosidade deste templo reside no alpendre que foi construído à entrada e a sua arquitectura, em que os ângulos são maciços de alvenaria. À entrada da porta tem uma inscrição do seguinte teor: «ANTONIO RODRIGUES CORREIA MAN/DOU ASSENTAR COM AIUDA DO POVO DA VEIGA/ANO/1846».

ABASTECIMENTO DE ÁGUA NA VEIGA: - Quando infantes, perdia tardes inteiras a jogar à bola no Cabeço Gordo. No regresso, era evidente a necessidade de água. Esta foto, com este título, é documento já posterior ao nosso domínio de sedentar a garganta, pois antes era uma mina, com boa água, actualmente estragada ou inêxistente. Tenho vaga ideia que quando este fontenário, com o mesmo sistema de bombagem daquele que em primeiro lugar apontei, foi inaugurado, parece que houve festa rija, com foguetes, discursos e outras coisas adequadas ao tempo.

Não deixa de ser curiosa a placa que ainda lá se mantém e que diz o seguinte: «José e António Duarte Martins - Junta - Câmara e Souza Baptista - 1950».

Ou seja, foram estas as pessoas e entidades envolvidas naquele que era, para o tempo, um grande melhoramento. Como as coisas são, ou como elas mudam, ou como elas evoluíram... e, com elas, nós também...

CASA NO TOPO DO CAMPO: - Esta casa, um pouco melhor conservada, pela idade que possuía nos anos 50-60, ainda lá está. O que sei é que o proprietário nos massacrava o juízo quando nos via lá a jogar futebol e as bolas invadiam, porque não havia outro remédio, a palha e outros pertences agrícolas. Antes, duas fotos com aspectos actuais do Cabeço Gordo, o primeiro campo de futebol da freguesia, beneficiado por Souza Baptista. E por isso o nome dado ao campo.

ANTÓNIO PEREIRA AREDE E O PÃO DA VEIGA: - A seguir há uma foto de uma casa onde residiu um dos melhores e maiores artistas a trabalhar madeira, se não do distrito, pelo menos do concelho. Era o seu nome António Pereira Arede, autor de belíssimos trabalhos ainda existentes, alguns na Casa do Povo e na igreja paroquial, que foi pai de um colega de escola, a residir em Aguada de Cima. Mas também a suscitar alguns factos históricos são as duas fotos seguintes, em ângulos diferentes, que era a casa onde se fabricava e vendia um dos melhores, senão o melhor pão de trigo e milho da região, o famoso pão da Veiga. Esta casa era de Ângelo de Almeida Carvalhoso e de sua esposa Zulmira Marques. As fotos apresentam-se na direcção nascente-poente e poente-nascente. Mas havia e ainda há por lá outros fabricantes deste delicioso pão... dos anjos...

BANDEIRA NACIONAL: - A seguir a estas fotos, está uma casa de prestigiadas pessoas da freguesia, residindo a sua curiosidade e característica na bandeira nacional ali içada, há algum tempo, que achamos interessante e a constituir alguma evidência local.

SOUZA BAPTISTA: - Fecha, no resumo deste slide, o busto do benemérito da freguesia Souza Baptista, solenemente descerrado em 4 de Dezembro de 1988, aquando de uma homenagem pública que lhe foi prestada. Finalmente, três amostras (fotos) da sede do concelho e cidade de Águeda, perfeitamente identificadas nas respectivas legendas.

As restantes não comentadas, são apenas amostras locais e, curiosas ou não, são aquilo que o olho do "fotógrafo" acha que deve ser publicado porque estas imagens (como outras) são, também de alguma forma, mensagens...

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...