domingo, 9 de junho de 2013

As crónicas de Adolfo Portela - 8

Os Passos em Águeda


Águeda: Procissão dos Passos e sermão do encontro,
na Rua Luís de Camões, em 21 Março 2010.
Foto do blogue Caritas Dei, (O Amor de Deus) aqui
(Clique para aumentar)
A tradição secular dos Passos, em Águeda, foi motivo de longas crónicas do escritor Aguedense, Adolfo Portela. Do seu livro «Águeda-crónica*paisagens*tradições» edição da Gráfica Ideal, 1964, retiramos parte do que consagra a esta tradição de fervor religioso:
 
«O Senhor Jesus dos Passos é a imagem de mais devoção que há na nossa terra. - Prover de azeite a lâmpada da sua capela; tocar o sacabucha na sua procissão; acompanhá-lo de joelhos até à ermida de Assequins; pegar no seu andor; alumiá-lo com uma vela de cera do nosso altor; ir amortalhado na sua procissão; - tudo isso são votos correntes que o povo dos nossos sítios faz ao ver-se preso duma grande aflição. Mesmo de longe, os milagres do Senhor dos Passos são invocados a cada hora. É assim que poucos brasileiros da nossa terra voltam dos Brasis, que não tragam na alma, de mistura com todas as suas desilusões, uma promessa ao Velhinho, pelo menos.»
E mais adiante:
«Esta tradicional devoção pelo poder milagreiro do Velhinho mais se acrisola, ainda, ao chegar o dia da sua festa que calha em domingo de Lázaro. - É então que toda a Riba Águeda acode, dos povoados do arrabalde e de cinco léguas ao redor, para vir aos pés do Senhor dos Passos cumprir o seu voto mais humilde e mais piedoso. E o povo, com toda a sua crença antiga nos milagres do Velhinho, consegue dar à festa o aspecto mais maguado e mais característico.»
 
A seguir: A procissão dos Passos.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...