quinta-feira, 16 de agosto de 2012

O incêndio de 1972

Que começou na Ponte de Santiago


Vista parcial da ponte de Santiago (Pessegueiro), onde passava o Vouguinha

Não temos presente a data exacta, mas foi por estes dias de há 40 anos que deflagrou um dos maiores incêndios que há memória, que se iniciou na ponte ferroviária do Poço de  Santiago, antes de Pessegueiro de Vouga. Sabemos que foi um ou dias antes de 20 de Agosto de 1972. Nesta data participava no casamento de um casal para o qual tinha sido convidado.
Naquela altura foi dito que a causa do incêndio terá sido uma das velhas máquinas a carvão do «Vouguinha» que por lá passava. E foi com esse pretexto que encerraram a circulação de comboios. Entretanto outros incêndios ocorerram e o «Vouguinha» já não existia. Não interessa agora para o caso esticar a conversa...
O certo é que a partir dos lados daquele local, devastou durante vários dias consecutivos milhares de hectares de árvores, mato, pinheiros e eucaliptos, além dos bens pessoais de muitas pessoas. E até uma vida foi ceifada, aqui mesmo ao lado no lugar da Cadaveira. Célebre, e fatídico também, neste lugar, a destruição da sua capela centenária que ali existia.
Aquele brutal e violento incêndio, durante esses dias, «comeu» tudo o que encontrava, passando pelas freguesias de Macinhata, Valongo, Talhadas, Préstimo e, segundo creio, não querendo mencionar com toda a certeza, terminou para além do Préstimo, muito próximo da Castanheira, pelos lados de Cabeço de Cão. Mas, como digo, é pormenor que agora não posso confirmar.
E naqueles idos anos de 70 ainda não haviam os equipamentos de combate a este flagelo, que nos consome todos os anos. O que pretendo destacar e rememorar é o acontecimento de horrendos momentos que passamos, mesmo aqui ao lado do lugar e nesta vasta área florestal.


Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...