terça-feira, 23 de agosto de 2011

A Junta de Freguesia na história - 84

Os cidadãos são todos iguais

Mas nem sempre tais cidadãos são iguais. Referimo-nos aos ricos, fluentes, com poder económico e social, que condicionam, de algum modo, a vida, principalmente a dos outros.
Isto para denunciar a nossa curiosidade quando a acta da Junta de Freguesia de 27 de Junho de 1915, faz constar um facto que contraria um pouco esta teoria. Em vez de estarmos a fazer considerações e explicações, faça o favor de ler o que na mesma consta:
Palacete da Quinta de Aguieira, onde residiu o Conde de Águeda
«Foi também deliberado oficiar à Câmara Municipal de Águeda, pedindo para que intime o doutor Manuel Homem de Melo da Câmara (Conde de Águeda) a mandar proceder à limpeza da vala pública denominada vala do "Rego", na parte que atravessa o seu prédio neste lugar de Arrancada, a fim de evitar as inundações dos prédios vizinhos, por falta daquela limpeza, tornando-os inteiramente inabitáveis; e bem assim para que o mesmo cidadão mande proceder ao encanamento da água que do rio de Baixo vai para o seu prédio da quinta do Vale, ao cabo do pontão sobre o mesmo rio, no caminho público que ali passa, a fim de ser depois aterrado e beneficiado o mesmo caminho. Não mandando proceder ao dito encanamento no prazo que lhe for marcado subentender-se-á que desiste da passagem da mesma água, pelo que esta lhe será vedada pelo supradito aterro.»

Só por mera curiosidade face à posição da Junta perante aquele cidadão, que foi o Conde de Águeda, diremos ainda que esta sessão de 27 de Junho de 1915, estava constituída pelos seguintes membros da Junta: Álvaro de Oliveira Bastos, presidente, João da Fonseca Morais, António Gomes de Oliveira e Albano Ferreira da Costa, vogais.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...