sábado, 9 de julho de 2011

A Junta de Freguesia na história - 80

A casa de escola e as eleições

A acta da sessão extraordinária da Junta de Freguesia, que foi realizada em 6 de Junho de 1915, na qual «foi lida, aprovada e assinada a acta da sessão anterior, depois do referido presidente [Álvaro de Oliveira Bastos] ter novamente exposto o motivo desta reunião extraordinária, e cujo motivo era o haver deliberações urgentes a tomar e não poder realizar-se a sessão ordinária no próximo domingo, por ser o dia marcado para as eleições gerais de deputados e senadores.»

Fica recordado, pois a história não terá «apagado» este acontecimento eleitoral, que no domingo seguinte ao dia 6 de Junho de 1915, realizavam-se eleições para deputados e senadores. Ontem, como hoje, a Junta de Freguesia era capaz de intervir na organização de tal acto. E continuava a acta:
 
Apesar da legenda, perfeitamente visível, este foi um dos edifícios construído em 1916
«Foi lido na mesa um ofício do Ministério da Instrução Pública - Repartição Pedagógicas de Instrução Primária e Normal, número cento e cinquenta e seis, de vinte e oito de Maio último, pedindo várias informações sobre a construção da casa da Escola e fornecendo também a esta Junta alguns esclarecimentos sobre a mesma obra. A Junta ficou 'sciente' (sic) sendo resolvido prestar as informações pedidas.
Não estando a construção do alpendre para recreio coberto dos alunos, incluído na empreitada da primeira tarefa da construção da casa da Escola e reconhecendo-se a necessidade da sua imediata construção e a economia que resulta dessa construção ligada à obra da dita empreitada, foi resolvido mandar proceder à construção do referido alpendre, sendo essas despesas pagas à parte das da empreitada.»

Pelo que se fica a perceber e aqui é denunciado, a empreitada da construção das escolas, não previa um alpendre para servir de recreio coberto, ligado à saída das salas de aula.
Confirma-se, certamente, que quando frequentamos aquelas escolas, e os alpendres ainda lá estavam, pelo que se pode deduzir que os edifícios que frequentamos e foram muito tempo utilizados até aos actuais, eram aqueles que foram construídos em 1915, concluídos, cremos, em 1916.
Estamos a seguir as actas por ordem de datas. O jornal «Valongo do Vouga» no seu número de Dezembro de 1982, tem um completo e perfeito resumo histórico da evolução da sua construção. Com algumas passagens das que aqui são enumeradas, como é lógico. No método utilizado fica uma descrição mais pormenorizada.
Estes edifícios  - construídos em 1916 - de que falam as actas, tiveram o início da sua demolição em Dezembro de 1982. As escolas funcionaram em instalações provisórias, um pouco espalhadas pela freguesia, em salas cedidas pela Junta de Freguesia e Casa do Povo.
A construção terminou em Novembro de 1983. Em 17 de Março de 1984 o Subsecretário de Estado das Obras Públicas esteve na freguesia e visitou os novos edifícios escolares, que substituíram os construídos em 1916. O Presidente da Câmara, na altura o Dr. Deniz de Ramos, disse que as escolas iriam funcionar já no ano lectivo de 1984-1985.
Actual edifício escolar em funcionamento
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...