quinta-feira, 3 de março de 2011

As Meninas Mascarenhas

O LIVRO - XLI

Após se ter instalado na hospedaria denominada «Fonda De Las Delícias», o dr. Silva Pinho faz uma descrição nostálgica daquilo que entretanto se estava a passar consigo, no também nostálgico e calmo lugar de Jafafe. Das suas caçadas, da sua bateira leve, das suas pescarias no «meu pátrio rio», dos serões passados a contemplar, sem parceiros, sobre uma mesa iluminada as miniaturas das suas caixas de fósforos. Enfim um quadro genuíno de alguém que já trabalhou muito e agora goza o merecido descanso. Não sei se naquele tempo a sua profissão de advogado tinha ou não reforma.
Logo que se instalou na Fonda, foi falar com José Lourenço de Sousa, que era o dono da tipografia que no capítulo anterior se citava, para imprimir, com um prefácio da sua autoria, as diferentes peças do processo e os memoriais destinados aos juízes.
Cuidou, em seguida, de procurar em suas casas os magistrados que deviam intervir no julgamento sobre o caso das menores tuteladas ao dr. Joaquim Álvaro, expondo com clareza a matéria do agravo, ficando com a ideia de que todos ficaram sensibilizados e convencidos da sua tese. A todos levava cartas de recomendação.
Um pormenor interessante: um dos desembargadores explicou logo o seu voto (era o Tribunal da Relação), afirmando que não acreditava que houvesse juiz algum em Portugal que tivesse opinião diversa. O dr. Silva Pinho identifica este juiz como sendo o dr. Pereira Leite, já falecido na data desta narrativa, deixando história na sua carreira de magistrado e grande reputação de sábio. Mas havia empenhos e pressões que não influenciaram os juízes daquele tribunal. Procedendo-se ao julgamento, dois juízes votaram a favor e dois votaram contra.
Um desembargador, de nome Vicente Nunes Cardoso resolveu o desempate, com voto de qualidade, em favor do tutor. A este juiz não tinham chegado as recomendações e os pedidos. Ele lera os folhetos que o dr. Silva Pinho tinha elaborado e oferecido a todos os membros do tribunal e decidiu-se pela impressão que a leitura lhe deixara...
Os Bandeira da Gama não esperavam que o agravo lhes fosse desfavorável e contrário (que é o mesmo)...

Foto: Monumento à Justiça de Fafe, in «Fafeonline.com»
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...