segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Valongo antigamente XIV

Trabalhadores da fábrica da lã


Trabalhadores da Fábrica da Lã, com o mestre Carlos, da Cardação
Entre outros, são visíveis Eduardo Guarino, de cócoras, e à esquerda do mestre Carlos, podemos distinguir António Gomes, atrás, e à sua frente o «Lapinhas» e o Armando Almeida. Há ainda outros cujas características se mantêm inalteráveis e são perfeitamente reconhecíveis.

Nesta rubrica que acabamos há dias de publicar, tivemos uma com aquele título e esta indicação de «trabalhadores da fábrica da lã», no post que foi colocado em 19 de Janeiro deste ano.
Nesse post, dizíamos ainda que as pessoas «que ficaram nesta imagem para a posteridade com o seu patrão - António Pereira Vidal Xavier.» E acrescentava que não fazia mais comentários, porque não eram necessários e ainda «corríamos riscos de erros». E erramos mesmo!!!
Não está correcta esta indicação.
Hoje mesmo foi-nos facultada por um amigo - que ainda os há e dos bons - a fotografia que voltamos a apresentar aqui, igual à anterior, mas com uma melhor apresentação, dado o seu estado de conservação, uma vez que a mesma, não se lembrando aquele que no-la emprestou, mas deve situar-se em finais dos anos 50, princípios dos anos 60 e que tem uma história contada por um dos elementos que está na fotografia, ainda vivinho da costa e com uma saúde de fazer inveja, pelo menos a alguns.
A fotografia foi tirada, para quem conheceu o local, no Pedrozelo, frente ao pavilhão das malhas, que mais tarde se transformaria na Fábrica de Malhas Santelmo, Lda.. Por trás, havia uma pequena escadaria que dava acesso a esse pavilhão.
Isto foi assim:
O senhor que está na foto, pomposamente apresentado de fato e gravata e pelo seu porte um tanto altivo, realmente nem parece um trabalhador daquela que foi uma importante empresa.
O tal senhor, que quem o conheceu apenas sabe que se chamava Carlos, morava na Aguieira, salvo erro numa casa do Meiral (estrada que vai de Aguieira para Águeda, do lado esquerdo, a poucos metros acima do entroncamento para Mourisca, que ficava antes da cabine eléctrica actual - porque naquele tempo não estava lá qualquer cabine) que era propriedade do Prof. João Batista Fernandes Vidal, onde actualmente (ou até há pouco tempo) residia um outro amigo - Carlos Manuel da Silva Ferreira Santos.
A coincidência de dois nomes iguais na mesma casa, não passa disso mesmo.
O tal Carlos da fotografia, de fato e gravata, era o mestre da cardação da firma António Pereira Vidal & Filhos, Lda.
E esta fotografia está em boas condições de conservação. Ora veja lá... se conhece alguém.
Eu conheço e, mesmo assim, bastantes.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...