terça-feira, 30 de novembro de 2010

A Junta de Freguesia na história - 66

A construção da escola de Arrancada

Já aqui démos algumas notas sobre as questões de construção das escolas de Arrancada, socorrendo-nos das actas da Junta de Freguesia do início do século XX, concretamente daquilo que se passava em 1914. A acta da sessão de 28 de Junho deste ano, descreve uma passagem do auxílio prestado pela família de Leandro Augusto Martins, que tem algumas curiosidades que importava pesquisar e averiguar. Diz assim:

«Tendo sido comunicado. verbalmente, a esta Junta que a quantia de mil escudos oferecida pelo benemérito cidadão Leandro Augusto Martins, para ajuda da construção da casa de Escola de Arrancada, estava na mão do cidadão Manuel de Souza Carneiro, de Águeda, que fazia a sua entrega logo que esta Junta lhe apresentasse o respectivo recibo, em duplicado, foi deliberado passar imediatamente esse recibo para os devidos efeitos. Mais foi deliberado que dêsse dinheiro fosse colocada na Caixa Económica Portuguesa, delegação de Águeda, a quantia de quinhentos escudos, sendo o tesoureiro da Junta autorisado a fazer esse depósito. Foi também deliberado que com os outros quinhentos escudos se efectuasse a compra do terreno já escolhido, e se fizessem as demais despesas acessórias, bem como dêles se deve também pagar a despesa com o levantamento da respectiva planta, devendo para isso proceder-se imediatamente a organização do respectivo orçamento suplementar.»

Há aqui um dado curioso. Leandro Augusto Martins, da Póvoa e proprietário do solar que ali mandou construir e cuja história já por aqui passamos, doou o dinheiro por intermédio de um tal Manuel de Souza Carneiro, de Águeda, que, como parece natural, só entregaria o dinheiro mediante recibo. Nada de anormal. O que ficamos em dúvida e não houve tempo de confirmar é se este Manuel de Souza Carneiro terá sido o homem ilustre que foi o percursor e dinamizador das Instituição de Águeda, cujo nome está perpetuada numa rua com o seu nome. Fica-nos esta dúvida. Mas em 1914, me parece que ainda não seria nascido este dinâmico aguedense, que faleceu em idade ainda jovem e que muita consternação provocou. Encontrei, de fugida, a data de nascimento em 6 de Setembro, mas não me diz o ano. E nasceu no Brasil, onde seus pais residiam. Cedo veio para Águeda e por cá cresceu... e morreu.
Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...